domingo, 29 de agosto de 2010

Anúncio da TMN: mais realismo por favor!

Alguém se lembra daquele anuncio dos 5 milhões, sempre consigo da TMN? Tão pouco representativo da realidade portuguesa. Justo e credível seria substituírem a franzina e simpática rapariga pelo macho latino: calções curtinhos, camisa de manga cava, cordãozinho de ouro ao pescoço, boné na cabeça. Tal como no anúncio, o nosso simpático e anónimo cidadão lideraria as hostes, que o imitariam em tudo o que ele fizesse. Só que, ao contrário do que acontece no anúncio, ele não se refrescaria ao pé de uma fonte, ou faria alongamentos; onde estão os comportamentos tipicamente portugueses? A tiragem de macacos, o arroto, o cheirar do sovaco, o escarro no chão, o belo do praguejo ou palavrão?
E o final do anúncio merece algo diferente. A multidão, algo cansada de repetir gestos, frases, etc, começa a fazer caretas, corninhos ao “atleta”, a exibir cartazes “Mãe, estou aqui”…O “atleta” que os orienta apercebe-se de risinhos estranhos vindos da multidão atrás de si e volta-se, desmascarando-os. O que se passa a seguir é memorável: o homem começa a gritar com toda a gente “Mas estão doidos?! Quem é que vos disse para fazer isso?”, as pessoas começam a atirar as culpas umas para as outras (bem português) e envolvem-se numa cena monumental de pancadaria. E assim termina o anúncio: “TMN, sempre consigo. Ou então contra si”…