domingo, 29 de agosto de 2010

Ah, que bom que é ser jornalista!

Recuso-me a acreditar naquela imagem de seriedade que os jornalistas se esforçam por fazer passar…será que é mesmo assim, será que eles são mesmo assim?

O final do telejornal deixa-,e sempre triste. Que pacatez é aquela das pessoas da redacção? Então já não basta o cinzentismo da actividade jornalística diária? C’um caraças, acabou a edição do telejornal daquele dia! Não era suposto comemorarem, de alguma forma, por tudo ter corrido bem? Elevarem o pivot no ar, desatarem aos pulos, pôr a música aos berros, abrirem garrafas de champanhe e sim, porque não, convidar meninas em fato-de-banho.